22 de outubro de 2019 ALTEROSA16°C

  • Alterosa na Web
  • Alterosa na Web
  • Alterosa na Web
  • Alterosa na Web

Nova carteira de identidade pode ter dados de outros 12 documentos

Redação16 de julho de 20194min0
identidade-678x381
Entre os documentos que podem ser incluídos estão PIS-Pasep, carteira de motorista, CPF, Cadastro Nacional de Saúde, carteira de trabalho, identidade profissional e tipo sanguíneo.

Um dos principais documentos dos brasileiros está diferente e muito mais completo.

A administradora Maristela Angélica de Rezende teve que tirar uma carteira de identidade nova e gostou de saber que é possível incluir dados de outros 12 documentos em apenas um: “Facilita muito carregar um documento só”.

Essa é uma das novidades do novo RG, que já é emitido em oito estados – Goiás, Mato Grosso, Acre, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul – e no Distrito Federal. O sistema deverá estar implantado em todo o país até março de 2020.

Entre os documentos que podem ser incluídos estão PIS-Pasep, carteira de motorista, CPF, Cadastro Nacional de Saúde, carteira de trabalho, identidade profissional e até tipo sanguíneo. Mas é preciso levar os documentos originais para a inclusão dessas informações.

O novo modelo também tem um QR Code, uma espécie de código de barras, na parte interna, que serve para garantir a autenticidade do documento.

“Padronizou-se a confecção da carteira: o material, o tamanho, onde é a localização da foto, da digital, assinatura, a confecção, os critérios de segurança que são inseridos nela”, diz Júlio da Silva, do Instituto de Identificação de Goiás.

A carteira de identidade antiga continua valendo. A emissão do novo modelo é só para quem precisa de uma segunda via ou vai tirar o documento pela primeira vez.

Aliás, adiar a confecção da primeira carteira de identidade pode trazer uma inesperada dor de cabeça. A apresentação do documento é obrigatória a partir dos 12 anos para quem vai viajar de ônibus e avião.

Sem o RG, a Ana Luísa, de 12 anos, não embarcou para o Espírito Santo e o pai ainda teve de pagar R$ 300 para remarcar a viagem dela. “Foi triste, né? Porque eu queria viajar com as minhas irmãs e com a minha mãe. E não pude ir. Fiquei com muita raiva”, conta a menina.

JORNAL NACIONAL

  • Alterosa na Web

    Deixa um Comentário

    Seu email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *